segunda-feira, 21 de outubro de 2013

UMA PALAVRA CRUZADAS INTERNACIONAIS EM ITAPERUNA

Uma palavra sobre Cruzadas Internacionais, realizada em Itaperuna e região entre os dias 21 e 29 de setembro de 2013.

UMA PALAVRA CRUZADAS INTERNACIONAIS EM ITAPERUNA

Pr. Cleber Montes Moreira

Foi uma semana abençoada a da etapa de execução de Cruzadas Internacionais. Tivemos a participação de 65 missionários brasileiros, uruguaios, chilenos e paraguaios, além do reforço de 9 irmãos da Sétima Igreja Batista de Campos, liderados pelo Pastor Camilo Fernando de Caldas que, espalhados pelas 20 igrejas da região, sendo duas de Minas Gerais, partilharam o evangelho nas ruas, casas, igrejas, escolas etc, anunciando o amor de Deus e o Plano de Salvação. A mensagem de que “Deus não desistiu de você” ecoou por todos os cantos das cidades alcançadas por nossos Cruzadistas. Os números, ainda provisórios, desta Cruzada são: 1.219 visitas, 1.086 decisões, 91 reconciliações e 673 pedidos de estudos bíblicos.

Nossa Cruzada não terminou no dia 28 de setembro, quando de nosso “Culto da Vitória”. Na verdade o trabalho mais intenso se inicia agora com a Conservação de Resultados. Necessitamos de irmãos que ajudem na realização dos estudos bíblicos e no discipulado dos novos crentes. Se você deseja cooperar, ajudando na integração daqueles que disseram “sim” a Jesus, por favor, entre em contato o mais rápido possível com a secretaria da igreja para que possamos envolvê-lo neste árduo porém gratificante trabalho. Deus conta com você e quer usá-lo neste sentido.

Deixamos aqui registrado nosso agradecimento a todos que colaboraram para a realização desta etapa de nossa Cruzada: Staff de Cruzadas Internacionais; Membros do Comitê Geral; dos Comitês das Igrejas Locais; pessoas que disponibilizaram tempo para visitas, veículos para transporte, que ajudaram na cozinha, na hospedagem e em todo tipo de trabalho. Todos foram valorosos e importantes para que chegássemos até aqui, com resultados tão expressivos.

Peço àqueles que tiveram alguma experiência marcante que compartilhem conosco, de preferência por escrito. Será de grande valia. Seu texto pode ser entregue na secretaria da PIBI ou por e-mail.

Peço ainda que orem pelos missionários que estiveram conosco, pelos seus familiares e suas igrejas, pelos membros do Comitê Geral e dos Comitês locais, bem como por todas as igrejas envolvidas, mas, especialmente, por aqueles que entregaram suas vidas a Jesus, para que permaneçam firmes neste propósito de servir a Deus.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

A CRUZ, NOSSA GLÓRIA!

Por  Isaltino Gomes Coelho Filho
 
Já declarei minha frustração com o fato de que a cruz foi posta de lado no louvor e na pregação atuais. No visual, alguns a trocaram pela estrela de Davi. Nos cânticos, foi substituída por expressões vazias, como “voar nas asas do Espírito”. Há um cântico que fala do rio que salva. É a salvação aquática, não pela cruz. Muitos púlpitos pregam o trono do cristão na terra (riquezas, saúde plena, vida sem problemas), não o chamado de Jesus para tomar a cruz: “Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome cada dia a sua cruz e siga-me” (Lc 9.23).
A cruz é ofensiva ao pecador. Ela declara que nossos esforços nada valem para a salvação e que nossa virtude não nos justifica diante de Deus. A cruz diz o que somos sem meias palavras. Ela declara que somos pecadores e que precisamos do perdão que vem dela. Há hoje muito falatório com o nome do Espírito Santo, mas será que o Espírito leva a afastar-se da cruz e a perder o fascínio por ela? O Espírito apaga a cruz na vida da igreja? Sem a cruz a igreja não existe. Nossa redenção efetuou-se nela: “E eles cantavam um cântico novo: Tu és digno de receber o livro e de abrir os seus selos, pois foste morto, e com teu sangue compraste para Deus gente de toda tribo, língua, povo e nação” (Ap 5.9). Somos o povo formado pelo sangue vertido na cruz.
A cruz declara a falência dos homens, mas também o poder de Deus: “Pois a mensagem da cruz é loucura para os que estão perecendo, mas para nós, que estamos sendo salvos, é o poder de Deus” (1Co 1.18). Para um mundo em trevas, a cruz não faz sentido, mas foi ela que Deus escolheu e que o Filho aceitou. É nela que o Salvador oferece perdão aos pecadores. Pregação que não exalta a cruz, culto não faz a cruz brilhar e cânticos que não avultam a cruz em nosso coração, falharam.
No salão de cultos da PIB de Nova Odessa está o texto de 1Coríntios 1.23: Bet mes sludinam Kristu krusta sisto (Mas nós pregamos a Cristo crucificado). Isto deveria estar impregnado na vida de cada igreja. Os judeus queriam sinais. Há cristãos com alma judia. Querem sinais de todo jeito. Os gregos queriam sabedoria. Há cristãos com alma grega. Querem filosofar. Deus propõe a cruz. Não há outro plano. É a cruz. Ela simboliza a religião verdadeira: a linha vertical, na direção de Deus. A horizontal, na direção dos homens. Graças à cruz podemos nos relacionar bem com Deus e com os homens.
Não se apague a cruz da nossa mente e do nosso coração. Somos o povo da cruz. Ela é a nossa glória. “Quanto a mim, que eu jamais me glorie, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo…” (Gl 6.14).
De um fascinado pela cruz,
Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho 
Fonte:  http://www.isaltino.com.br/2013/01/a-cruz-nossa-gloria/

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

MEU CORAÇÃO DÓI PELA AMÉRICA – BILLY GRAHAM

“Alguns anos atrás, a minha esposa Ruth estava lendo um esboço de um livro que eu estava a escrever. Ao terminar uma secção que descrevia a terrível espiral descendente dos padrões morais e da idolatria da adoração de falsos deuses como a tecnologia e o sexo, ela impressionou-me quando exclamou: ‘Se Deus não punir a América, Ele vai ter de pedir desculpa a Sodoma e Gomorra.’

Ela pensava certamente numa passagem de Ezequiel onde Deus diz porque é que levou essas cidades à ruína. ‘Eis que esta foi a iniquidade de Sodoma, tua irmã: soberba, fartura de pão e próspera tranquilidade…mas nunca amparou o pobre e o necessitado. Foram arrogantes e fizeram abominações diante de mim; pelo que, em vendo isto, as removi dali’ (Ezequiel 16.49-50).

Não sei o que a Ruth pensaria da América se estivesse viva hoje. Nos anos que se passaram depois que ela fez esse comentário, milhões de bebés foram abortados e a nossa nação parece geralmente despreocupada. A complacência egocêntrica, a arrogância, e uma falta de vergonha pelo pecado são agora distintivos do estilo de vida americano.

Há poucas semanas, numa proeminente cidade no sul, os capelães Cristãos que trabalham no departamento policial receberam ordens para não mais mencionarem o Nome de Jesus nas orações. Foi relatado que durante um recente evento organizado pela polícia, a única pessoa com permissão para orar foi alguém que se dirigiu “ao Ser presente na sala.”

Cenários semelhantes são agora lugar comum em cidades por toda a América. A nossa sociedade esforça-se por evitar qualquer possibilidade de ofender alguém – exceto Deus.

Contudo, quanto mais nos distanciamos de Deus, mais o mundo gira fora de controle.

O meu coração dói pela América e pelo seu povo enganado. As notícias maravilhosas é que o nosso Senhor é um Deus de misericórdia, e ele responde ao arrependimento. Nos dias de Jonas, Ninive era a única potência mundial – rica, indiferente e egocêntrica. Quando o profeta Jonas finalmente viajou até Nínive e proclamou os avisos de Deus, o povo ouviu e arrependeu-se.

Eu acredito que a mesma coisa pode acontecer uma vez mais, desta vez na nossa nação. É algo que anseio, e o meu filho Franklin partilhou recentemente uma visão do provável maior desafio na história da Associação Evangelística Billy Graham: lançar uma campanha denominada Minha Esperança com Billy Graham, que levaria o Evangelho aos bairros e lares de todos os cantos da América no próximo ano.”

Enquanto escrevo, estou no meio de um verão ocupado desfrutando das visitas dos muitos netos da minha família e de outros membros, mas também trabalhando arduamente num novo livro que aborda algumas ilusões perigosas acerca da salvação eterna que se estão a tornar cada vez aceites em muitos lugares. Quero chamar a atenção do mundo para o que a Bíblia diz.

Embora a idade e a saúde restrinjam a minha mobilidade e a minha resistência, para não mencionar a minha visão e audição, eu estou grato pelos dias que Deus me deu.

Billy Graham
28/07/2012

Fonte: http://prvitorhugo.com/2012/08/04/meu-coracao-doi-pela-america-billy-graham/