terça-feira, 10 de outubro de 2017

SANTIDADE PARA ESTAR DIANTE DE DEUS



Pr. Cleber Montes Moreira

“Cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé, tendo os corações purificados da má consciência, e o corpo lavado com água limpa.” (Hebreus 10:22)

Ao contrário do que ocorria no Velho Testamento, neste tempo inaugurado com o advento do Messias, todos os salvos têm o privilégio de comparecer diante de Deus pelo novo e vivo Caminho que é Cristo, sem a intermediação de qualquer outra pessoa. Entretanto, isso não significa que possamos fazê-lo de forma não apropriada: Deus é santo, e Ele exige de nós santidade. 

Ninguém pode apresentar-se diante do Eterno sem estar trajado devidamente. Jesus exemplificou isso ao contar a parábola de um rei que preparou uma grande festa de casamento para o seu filho, e enviou seus servos aos que tinham sido convidados para o banquete, dizendo-lhes que viessem. Estes recusaram. Então mandou aos servos que fossem para as ruas e convidassem a todos que encontrassem. Aqueles que atenderam ao convite receberam trajes próprios para aquela celebração. Porém, quando todos os convivas já haviam chegado, “o rei, entrando para ver os convidados, viu ali um homem que não estava trajado com veste de núpcias. E disse-lhe: Amigo, como entraste aqui, não tendo veste nupcial? E ele emudeceu. Disse, então, o rei aos servos: Amarrai-o de pés e mãos, levai-o, e lançai-o nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes” (Mateus 22:11-13).

O texto em epígrafe descreve com muita clareza o modo e a condição requerida daqueles que se apresentam perante o Senhor:

Cheguemo-nos com verdadeiro coração
Em inteira certeza de fé
Tendo os corações purificados da má consciência
E o corpo lavado com água limpa

Estas frases denotam santidade como ‘conditio sine qua non’ para aqueles que se aproximam de Deus. O escritor bíblico, mais adiante, confirmará esta exigência ao exortar seus leitores a buscarem “a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor” (Hebreus 12:14).

A partir da compreensão de que os salvos devem viver à vista de Deus, a busca pela santificação deve ser constante, considerando ser ela um processo com um alvo a ser atingido, tendo seu ápice na eternidade. É oportuno lembrar que ninguém, por si só, conseguirá conservar-se puro e percorrer o caminho da santificação, a menos que dependa de Deus – É Ele quem nos dá as vestes adequadas, e não nós quem as compramos.

As ideias apresentadas no texto descrevem a integralidade da vida cristã. O salvo deve viver em ‘inteireza’, pois que está diante daquele que tudo conhece, para quem não há segredo algum, nenhum pecado, nenhuma mancha que não possa ver. A hipocrisia não subsiste perante a onisciência divina. DEUS É SANTO, e nós também devemos ser!

Nenhum comentário:

Postar um comentário