quarta-feira, 5 de julho de 2017

“POR QUE ESTÁS ABATIDA, Ó MINHA ALMA?”

depressao


Pr. Cleber Montes Moreira

“Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, o qual é a salvação da minha face, e o meu Deus.” (Salmos 42:11)


Os Salmos 42 e 43 constituem dois poemas que, segundo Moody, são “tão intimamente ligados em conteúdo e estilo que desafiam a separação”. Eles foram escritos durante a revolta de Absalão, quando Davi estava refugiado ao norte da Palestina, perto da nascente do Jordão, e retratam o estado de espírito do Rei que pede a Deus por socorro. Sua aflição é decorrente não apenas do seu afastamento do trono mas, principalmente, por não poder entrar na “casa de Deus” e experimentar Sua confortante presença.  Por isso, diz que sua alma tem sede do Deus vivo, e anseio por se apresentar diante de Sua Face (2). Com lágrimas se lembra de quando podia, com a multidão, festejar a Deus com voz de alegria e louvor (4). 

A neve derretida aumentava o volume do Jordão e produzia fortes correntezas. O salmista sente como se tais ondas passassem por cima dele, gerando a mesma aflição de quem se afoga e se debate em vão (6, 7). Todavia, não perdia sua esperança de que o Senhor mandaria sua misericórdia, e que novamente cantaria, alegremente, uma canção em oração a Deus (8).

Como disse Matthew Henry, “As almas jamais poderão descansar em outra parte que não seja no Deus vivo”. O justo tem sede de Deus, e nada mais além de Deus pode saciar esta sede. Assim como a corça sedenta anseia por águas correntes, nossa alma suspira, ansiosamente, por Aquele que tem o poder exclusivo de saciá-la. O justo pode estar num templo, no alto de uma montanha, na cidade ou no deserto, ou em qualquer outro lugar, pode desfrutar de riquezas e benesses, mas sua alma não se satisfará se estiver longe de Deus. Nós fomos criados para Deus, e percebemos isso mais claramente quando atravessamos os desertos. Onde não há água é que reconhecemos melhor sua utilidade.  É durante as aflições que percebemos, mais nitidamente, nossa dependência do Pai celeste. É como diz a letra daquela linda canção do Grupo Hágios:

“Me falte água ou alimento ou suprimento para o amanhã que vem. 
Se nos olhos me faltarem toda luz, só não me falte a presença de Jesus…
Me falte o vento, o mar e o sol, onde estiver sei que não vou me abalar.
Se na seara o meu trigo não produz, só não me falte a presença de Jesus.
Sua presença é a razão da minha fé, sua presença me conduz onde estiver...”

Me falte tudo, só não me falte Jesus! E, certamente, Ele não faltará, nem falhará.
Sua alma está aflita, abatida? Algo perturba seu coração?  Espere em Deus e busque por Sua presença! Faça isso na certeza de que Nele terá plena satisfação. Depois não se esqueça de louvá-Lo por sua salvação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário