segunda-feira, 22 de maio de 2017

UMA ADVERTÊNCIA PARA HOJE


Pr. Cleber Montes Moreira

1- Nesse meio tempo, tendo-se juntado uma multidão de milhares de pessoas, a ponto de se atropelarem umas às outras, Jesus começou a falar primeiramente aos seus discípulos, dizendo: "Tenham cuidado com o fermento dos fariseus, que é a hipocrisia.
2- Não há nada escondido que não venha a ser descoberto, ou oculto que não venha a ser conhecido.
3- O que vocês disseram nas trevas será ouvido à luz do dia, e o que vocês sussurraram aos ouvidos dentro de casa, será proclamado dos telhados.
(Lucas 12:1-3 - NVI)


Assim como os discípulos, que por causa de Jesus viviam cercados de multidões cujo principal objetivo não era o Senhor e sua doutrina, mas sim as benesses de sua presença, nós também estamos rodeados de pessoas interesseiras e oportunistas que pensam no evangelho como um meio de saciar seus desejos egoístas. Assim como os fariseus, os saduceus e outros grupos da época interpretavam e aplicavam a Lei em benefício próprio, muitos hoje fazem o mesmo em relação a Palavra de Deus.  Eles se revestem da “aparência de piedade”, mas em seu íntimo são “amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus” e perseverantes na prática do mal (Leia 2 Timóteo 3). 

Os fariseus, principalmente, eram populares e exerciam grande influência sobre o povo. Da mesma forma muitos pregadores da atualidade, bem como outras celebridades do mundo gospel, formam opinião, ditam comportamentos, influenciam vocabulário etc. Alguns atraem multidões que cegamente colaboram para a manutenção de seus “ministérios” e formação de verdadeiros “impérios”. Muitos, na busca da fama, poder e dinheiro, são tentados a seguirem o mesmo caminho. A característica principal destes falsários é proclamar um evangelho adequado a seus interesses e sob medida para atender aos seus anseios egoístas. Eles  evocam autoridade espiritual, ostentam santidade, alegam uma interpretação correta das Escrituras, demonstram piedade mas, na verdade, são hipócritas, ou seja, apenas representam um papel que não condiz com o que realmente são.

Certamente que a advertência do Mestre serve também para os discípulos de hoje. A Bíblia é viva, dinâmica, e sua mensagem é sempre atual. Cabe a nós acatar e aplicar seus princípios.


O FERMENTO DA HIPOCRISIA

“Fermento”, segundo, Godet, “é o emblema de cada princípio ativo, bom ou ruim, que possui o poder de assimilação”. Paulo usa o mesmo termo (ζύμης) ao escrever aos Gálatas que estavam se deixando enredar por um “outro evangelho”: “Um pouco de fermento leveda toda a massa” (Gálatas 5:9 - NVI). Conforme Beacon [1] os fariseus, com o seu “fermento” – ensinos e práticas – influenciavam as pessoas e direcionavam falsamente toda religiosidade israelita. 

O “fermento”, mencionado no verso primeiro, refere-se à presença da corrupção daqueles que agem com “hipocrisia”, no caso os fariseus. Eles foram denunciados severamente por Jesus em outros momentos, com igual rigor. Sua hipocrisia consistia em ostentar uma vida de elevada espiritualidade para ocultar sua corrupção. À vista do povo eram zelosos da Lei, dedicados à oração, santos…, mas interiormente eram como “sepulcros caiados”, conforme palavras do próprio Senhor: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda a imundícia” (Mateus 23:27 - NVI) – limpos por fora, podres por dentro!

A exortação que o Senhor nos deixa é: “Tenham cuidado com o fermento dos fariseus, que é a hipocrisia.” Em outras palavras: “não se contaminem”, “não se amoldem”, “não imitem a sua conduta”, “não se deixem levar” etc. Não nos assemelhemos àqueles que “posando de bons mocinhos” encobrem o mal que praticam para que no dia da vergonha não tenhamos o que temer.


O PODER DA INFLUÊNCIA

Geralmente os influenciadores são pessoas carismáticas. Eles se caracterizam por “uma presença marcante” e uma “liderança contagiante”. Entretanto, o que distingue o hipócrita do cristão autêntico não é o carisma, mas o caráter.  O cristão não é o que ele faz, mas quem ele é na essência. Jejuar, orar para ser visto, dar esmolas, o aparente zelo pelas Escrituras, ostentação de santidade, demonstração de “poder” e “autoridade” etc. podem impressionar pessoas, porém a vida do discípulo é aferida pelo Fruto do Espírito.

O site “Sempre Família” [2],  em publicação do dia 31 de outubro de 2016, elencou os dez líderes evangélicos mais influentes nas redes sociais, dentre os quais estão: Ana Paula Valadão, que tinha, até então, mais de 3 milhões de curtidas em sua página oficial no Facebook; Thalles Roberto com mais de 1 milhão de seguidores no Facebook e mais de 9 milhões de curtidas; Claudio Duarte, “o pastor cheio de graça”, como ele mesmo se intitula, com cerca de 3 milhões de curtidas no faebook e 79 mil seguidores no Twitter; Aline Barros com mais de 15 milhões de curtidas em sua página no Facebook e cerca de 4,46 milhões seguidores no Twitter; e ainda Ed René Kivitz, Silas Malafaia, o jogador Kaká e outros famosos. O que despertou-me atenção na matéria foi o comentário em destaque, logo após o título: “Suas opiniões são levadas em consideração por milhares ou até milhões de brasileiros.”

É lamentável ver um povo que não lê a Bíblia, em cegueira espiritual, sendo influenciado por homens, mesmo que muitos deles exerçam um ministério destoante da Palavra de Deus. Basta ouvir alguns sermões, canções e declarações para se ter a clareza sobre seu verdadeiro caráter.  Falo sem generalizar, mas é certo que muitos deles não podem, como Paulo, dizer: “Sede meus imitadores, como também eu de Cristo” (1 Coríntios 11:1). 

A influência maléfica de certos líderes religiosos tem levado o povo para longe de Deus. Práticas insanas e vergonhosas, ambições escusas, superstições, idolatria, liberalismo, legalismo, humanismo, universalismo e tantas outras coisas são ingredientes da massa levedada com o fermento dos perversos. Para quem tem discernimento espiritual, o “bolo” é indigesto!

Algo que agrava ainda mais a situação é que muitos desses líderes representam a ideia secular de “sucesso” e “prosperidade”, constituindo-se assim em “modelo” e “inspiração” para  novos pregadores e líderes que aspiram por ascensão na carreira. Daí vemos muitos jovens oradores, pastores, cantores e outros imitando seus ídolos nos púlpitos e palcos, sempre em busca de holofotes.

A VERGONHA DOS HIPÓCRITAS

Os hipócritas são obstinados em seu erro, e incapazes de sentir vergonha: “Ficarão eles envergonhados da sua conduta detestável? Não, eles não sentem vergonha alguma, nem mesmo sabem corar. Portanto, cairão entre os que caem; serão humilhados quando eu os castigar", declara o Senhor” (Jeremias 6:15 - NVI). Mesmo conhecendo a Palavra da Verdade preferem simular e enganar o povo.

Abraham Lincoln disse: “Você pode enganar uma pessoa por muito tempo; algumas por algum tempo; mas não consegue enganar todas por todo o tempo.” Eu acrescento: Você pode enganar as pessoas, mas jamais a Deus.  Haverá um tempo, o dia da vergonha, em que toda obrá má será descoberta e toda a hipocrisia revelada.  

Um exemplo disso são os últimos acontecimentos que ocupam os noticiários, fruto das investigações da Operação Lava Jato, que surgiram como uma bomba revelando imagens e áudios que causaram desconforto ao presidente Temer, provocaram o afastamento do senador Aécio Neves, as prisões de sua irmã Andrea Neves e de seu primo Frederico Pacheco de Medeiros, dentre outros desdobramentos. As coisas feitas em oculto estão sendo expostas para vergonha de muita gente. Com os falsos profetas não será diferente.

Não há coisa pior que uma justiça injusta, uma fidelidade infiel, uma moral imoral, uma retidão dissimulada… Aqueles que usam a camuflagem de uma vida ilibada para ocultar sua corrupção agem com hipocrisia e um dia estarão desnudos à luz do Sol da Justiça, pois “não há nada encoberto que não venha a ser descoberto, ou oculto que não venha a ser conhecido”. 

O escritor de Eclesiastes, provavelmente Salomão, depois de considerar a vaidade que há debaixo do sol, encerra assim seu livro: “Pois Deus trará a julgamento tudo o que foi feito, inclusive tudo o que está escondido, seja bom, seja mal” (Eclesiastes 12:14). As máscaras cairão!

PARA REFLETIR

A exortação do Senhor aos discípulos é também para hoje. Estejam atentos e não se contaminem com o fermento dos perversos. Cuidado com os falsos mestres que enganam e afastam os incautos da Verdade.  Cuidado com os avarentos. Cuidado com o fermento dos políticos que desavergonhadamente oferecem ao povo um discurso destoado de suas intenções e práticas. Não imitem os maus. Submetam tudo ao crivo da Palavra Sagrada. Sigam a Cristo, não aos homens. Considerem que toda obra má e toda corrupção virá à tona e a justiça prevalecerá.

______________________________
[1] Beacon, Comentário, Mateus a Lucas, página 424
[2] http://www.semprefamilia.com.br/10-dos-lideres-evangelicos-mais-influentes-nas-redes-sociais/ (acessado em 20 de maio de 2017)

Nenhum comentário:

Postar um comentário