quarta-feira, 31 de maio de 2017

APENAS POR ALGUM TEMPO

tentação


Pr. Cleber Montes Moreira

“E, acabando o diabo toda a tentação, ausentou-se dele por algum tempo.” (Lucas 4:13)


O verso acima está no final da narrativa de Lucas sobre a tentação de Jesus, no deserto. Destaco a parte final, que diz: “ausentou-se dele por algum tempo”.  Sim, apenas “por algum tempo”, não mais que isso. Na Bíblia NVI, o mesmo texto está assim: “O diabo o deixou até ocasião oportuna” (Lucas 4:13). Na Bíblia King James Atualizada, lemos: “O Diabo afastou-se dele até o tempo oportuno.” Significa que o inimigo não desistiu, apenas ficou no aguardo de um novo momento, à espreita. Como diz Pedro: ao redor como leão, rugindo e procurando alguma oportunidade para atacar (1 Pedro 5:8).

Mateus narra o episódio em que “começou Jesus a mostrar aos seus discípulos que convinha ir a Jerusalém, e padecer muitas coisas dos anciãos, e dos principais dos sacerdotes, e dos escribas, e ser morto, e ressuscitar ao terceiro dia”. Pedro, por sugestão do maligno, chamando o Mestre à parte, “começou a repreendê-lo, dizendo: Senhor, tem compaixão de ti; de modo nenhum te acontecerá isso”. Jesus, reconhecendo a artimanha satânica, o repreendeu dizendo: “Para trás de mim, Satanás, que me serves de escândalo; porque não compreendes as coisas que são de Deus, mas só as que são dos homens” (Mateus 16:21-23). 

No momento da crucificação, mais uma vez o diabo o tenta, por meio de um zombador na cruz ao lado, que o desafiou: “Tu, que destróis o templo, e em três dias o reedificas, salva-te a ti mesmo. Se és Filho de Deus, desce da cruz” (Mateus 27:40). Da mesma forma, os príncipes dos sacerdotes, com os escribas, e anciãos, e fariseus disseram: “Salvou os outros, e a si mesmo não pode salvar-se. Se é o Rei de Israel, desça agora da cruz, e creremos nele” (Mateus 27:41 e 42). 
Em nenhum momento o Senhor cedeu às provocações.  Em todo tempo, consciente e determinado em sua missão, permaneceu fiel ao propósito de sua vinda.  Não desistiu da cruz, mas consumou nossa salvação!

Da mesma forma que agiu com Jesus, age conosco: Satanás nunca se dá por satisfeito, e por mais que resistamos, sempre fica à espera de uma segunda oportunidade para nos tentar e fazer cair.  Ele não desiste, não vai embora, apenas aguarda o “tempo oportuno”, nos observando, estudando nossos hábitos, procurando descobrir nossas fraquezas para prevalecer contra nós. Um descuido, e ele dá o golpe!  Por isso Jesus nos ensina: “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca” (Mateus 26:41). Pedro nos exorta: “Sede sóbrios; vigiai” (1 Pedro 5:8). Charles Haddon Spurgeon nos adverte: “A verdadeira conversão dá segurança à pessoa, mas não lhe confere o direito de parar de vigiar.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário