sábado, 6 de fevereiro de 2016

CUIDADO COM O GPS

Pr. Cleber Montes Moreira


“Considerei os meus caminhos, e voltei os meus pés para os teus testemunhos.” (Salmos 119:59)


Antigamente, quando alguém ia viajar por uma estrada desconhecida, logo se valia de um mapa rodoviário. Geralmente estes mapas eram encontrados em bancas de jornal, ou distribuídos em postos de gasolina. Neles, o viajante encontrava um gráfico com a malha rodoviária de certa região, ou mesmo do Brasil. Assim, era só traçar o trajeto que poderia ser marcado com caneta ou marca texto. Hoje temos o GPS. Por meio dele podemos traçar uma rota, e ele ainda nos dá opções para encurtarmos distâncias. É, sem dúvidas, uma ótima ferramenta que nos auxilia no trânsito. Entretanto, já ouvimos de pessoas que foram parar até em favelas, algumas que foram baleadas, outras que morreram, porque o GPS traçou um percurso errado, por falta de atualização ou erros em seu banco de dados. Foi o que aconteceu com Francisco Múrmura e sua esposa Regina Stringari Múrmura, em outubro de 2015. O casal, que ia do Rio para Niterói, colocou o endereço de destino no aplicativo do GPS. Em vez serem direcionados para a Avenida Quintino Bocaiúva, em São Francisco, eles foram levados à Rua Quintino Bocaiúva, dentro da favela do Caramujo. O carro em que estavam foi alvo de disparos. Francisco tentou fugir, mas acabou entrando numa rua sem saída, quando foi novamente alvejado por diversos tiros antes de conseguir deixar a região. Regina foi levada ferida para o Hospital Estadual Azevedo Lima, no Fonseca, onde veio a óbito.

O sábio disse: “Há um caminho que ao homem parece direito, mas o fim dele são os caminhos da morte” (Provérbios 14:12). Sim, há caminho que parece bom, mas que leva à morte. Por isso é preciso ter certeza de que o caminho escolhido é o correto.

Jesus disse aos discípulos: “Mesmo vós sabeis para onde vou, e conheceis o caminho” (João 14:4). Tomé, porém, respondeu: “Senhor, nós não sabemos para onde vais; e como podemos saber o caminho?” (João 14:5). A dúvida daquele discípulo é a mesma de muita gente: “Qual o caminho certo para o Céu?”; “O que devo fazer para ter a vida eterna?” A todos, Jesus responde: “Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim” (João 14:6). Porém, há muitos que ainda persistem nas incertezas e não conseguem encontrar o Caminho. Por isso, para todos há um “mapa”, ou melhor, um “GPS” que não falha, que não traça rotas erradas e para a morte. De que estou falando? Da Bíblia, é claro. Nela está escrito: “Bom e justo é o Senhor; por isso MOSTRA O CAMINHO AOS PECADORES. CONDUZ os humildes na justiça E LHES ENSINA O SEU CAMINHO” (Salmos 25:8,9 – NVI – grifo do autor). Não é sem motivo que o Salmista afirmou: “Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho” (Salmos 119:105).

Cuidado com o seu mapa, ou GPS. Que ele não seja seu “achismo”, uma religião, tradição, ou informações vindas de quem não merece confiança. Considera os teus caminhos, e faça da Bíblia o seu guia, para que você ande pelo Caminho Eterno, que conduz ao Céu, e possa, com convicção, dizer em seu íntimo: “Guiar-me-ás com o teu conselho, e depois me receberás na glória” (Salmos 73:24). Pense nisso!


Nenhum comentário:

Postar um comentário