sábado, 6 de dezembro de 2014

UM GRITO POR SOCORRO


Tem misericórdia de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; apaga as minhas transgressões, segundo a multidão das tuas misericórdias. Lava-me completamente da minha iniquidade, e purifica-me do meu pecado. Porque eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim.” (Salmos 51:1-3)

Pr. Cleber Montes Moreira

Li num site, uma frase que interpretei como um grito por socorro: “Cristãos, por favor, me ajudem! Não consigo sentir tristeza pelos meus pecados.” Que terrível confissão fez aquele internauta! Há muita gente que se acostumou tanto com o pecado que já não pode entristecer-se.
Em 1 Timóteo 4:2, Paulo fala sobre aqueles cujas consciências estão "cauterizadas" ou indiferentes. Assim como a pele de um animal marcado com um ferro em brasa se torna insensível a dor, há consciências que já não reagem ao pecado. Muitos até reconhecem seus erros, sabem da gravidade da situação, mas não sentem suficiente tristeza para o arrependimento.
Em sua experiência, ao cometer uma sucessão de pecados a partir do adultério com Bate-Seba, Davi foi duramente repreendido pelo profeta Natã, o que o despertou para a sua condição deplorável e culminou em seu arrependimento. Ele sentiu tanta tristeza pelos pecados que decidiu abandoná-los, pois agora eram como fardo insuportável, de dores e aflições. Sua mente não estava cauterizada, mas sensível à repreensão divina.
Por algum tempo pecar produz algum prazer, mas depois torna-se num tumor que provoca dores agudas. Então, o único remédio é o arrependimento, e arrependimento é sentir tristeza o bastante para parar de pecar. Foi exatamente isso que Davi sentiu quando gritou a Deus por perdão: “Tem misericórdia de mim, ó Deus... Apaga as minhas transgressões... Lava-me completamente da minha iniquidade, e purifica-me do meu pecado.”
Você também já deu o seu grito por socorro? Já sentiu tristeza pelos seus pecados? Saiba que “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça” (1 João 1:9).

Nenhum comentário:

Postar um comentário