sábado, 4 de fevereiro de 2012

NOÉ, EXEMPLO DE FÉ


Pr. Cleber Montes Moreira

 
Textos Bíblicos: Hebreus 11.1, 7


INTRODUÇÃO:

Para melhor compreensão de nossa reflexão de hoje, é primeiramente necessário conhecermos o que significa a palavra fé.

Etimologicamente: Encontramos no Latim algumas palavras relacionadas: 'Fidelitas', “fé, adesão”; 'Fidelis', “fiel, verdadeiro”; 'Fides', “fé”. Desta veio também nossa palavra “fiel”.

A palavra hebraica 'emunáh' traz em si diversos significados: “veracidade, sinceridade, honradez, retidão, fidelidade, lealdade, seguridade, crédito, firmeza e verdade.” Em Habacuque 2.4b, ela é traduzida por fé: “mas o justo pela sua fé viverá.” No grego encontramos a palavra 'pistia' que em nossas traduções aparece como fé.

A melhor definição de fé é a que se encontra em Hebreus 11.1: “Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não veem” (ACRF) - “Ora, a fé é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos” (NVI). Na versão Católica, disponibilizada pela Bíblia Online, está assim: “A fé é o fundamento da esperança, é uma certeza a respeito do que não se vê.”

Este conceito de fé pode ser percebido na vida de Noé: “Pela fé Noé, divinamente avisado das coisas que ainda não se viam, temeu e, para salvação da sua família, preparou a arca, pela qual condenou o mundo, e foi feito herdeiro da justiça que é segundo a fé” (Hebreus 11.7).

Vejamos, então, alguns aspectos da fé na vida de Noé.

Podemos dizer que a fé de Noé era...

  1. UMA FÉ GENUINA:
Há no mundo muitos tipos de fé, mas nem todos sugerem, de fato, uma relação profunda com Deus. Por isso, antes de vermos a fé praticada por Noé, precisamos primeiro saber o que não é fé verdadeira.

Alguns tipos de fé que não representam a fé declarada nas Escrituras:
  1. Fé em tradições religiosas. Muitas vezes alguém de “muita fé” é apenas uma pessoa que assimilou, ao longo da vida, a cultura religiosa de seus pais e até mesmo avós. Ter conhecimento religioso e guardar preceitos de uma religião não significa ter a fé bíblica. Aliás, este é o tipo de fé de muita gente que está indo para o inferno. Gente que diz crer em Deus, ter religião, guardar mandamentos, fazer o bem etc. Para ter fé não basta ser nascido em “berço religioso”, ou incorporar crenças religiosas.
  2. Fé temporal. É aquela que leva alguém a apegar-se a Deus, confiando nele apenas para a obtenção de favores temporais. Trata-se de uma fé interesseira, do tipo: “a coisa tá feia, vou procurar a Deus”; “Se Deus me abençoar, entregarei o dízimo”; é a fé de quem procura a igreja para obter uma bênção, uma cura ou resolver qualquer problema. É a fé pregada pelas igrejas do evangelho triunfalista e da prosperidade. A Bíblia condena este tipo de fé: “Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens” (1ª Coríntios 15.19).
  3. Fé que duvida. Um colega uma vez contou uma estória em tom bem engraçado. Disse: “Um certo alpinista, num dia de muita neblina, escorregou de um penhasco e ficou preso a uma corda, sem visão alguma, suportando frio intenso e ventos fortes. Ele era ateu, mas diante do perigo eminente de cair e morrer, e sem qualquer esperança de escapar daquela situação, resolveu orar para ver se Deus realmente existia. Ele gritou: 'Deus, se o Senhor existe, me tire desta situação'. Então, uma voz como de trovão soou desde o céu, dizendo: 'Eu não posso te salvar, pois você não crê em mim', ao que o homem respondeu: 'Mas se o Senhor me livrar eu prometo que serei um crente'. E Deus respondeu: 'Então solte as mãos'. O homem retrucou: 'O Senhor está louco'?! No outro dia socorristas encontraram o homem morto por hipotermia e uma corda pendurada a cerca de uns dois metros do chão.”
    Muita gente diz crer em Deus, mas não ousa obedecê-lo. É gente que “confia desconfiando”, ou seja, gente incrédula!
  4. Fé sem compromisso. Este é o tipo de fé daqueles que querem os benefícios do evangelho, mas não querem um compromisso sério com Deus. Gente que quer receber, mas não quer servir.
  5. Fé fingida. O apóstolo Paulo, escrevendo à Timóteo, por duas vezes, menciona a fé fingida: “Ora, o fim do mandamento é o amor de um coração puro, e de uma boa consciência, e de uma fé não fingida” (1ª Timóteo 1.5); e “Trazendo à memória a fé não fingida que em ti há, a qual habitou primeiro em tua avó Lóide, e em tua mãe Eunice, e estou certo de que também habita em ti” (2ª Timóteo 1.5). Tem gente que cultiva uma fé fingida.
  6. Fé nominal. Nominalismo religioso se opõe à fé: “Por que vocês me chamam ‘Senhor, Senhor’ e não fazem o que eu digo?” (Lucas 6.46).
  7. Fe do ativismo. Há nas igrejas gente ativista, que trabalha muito mas que não conhece a Deus. Gente que se envolve com a Obra, mas não com o Deus da Obra: “Muitos me dirão naquele dia: ‘Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? Em teu nome não expulsamos demônios e não realizamos muitos milagres?” (Mateus 7.22).

A fé ensinada na Bíblia, e praticada por Noé é uma fé genuína. No Dicionário Online da Língua Portuguesa, 'genuíno' significa “Próprio, verdadeiro, natural, puro, sem mistura ou alteração.” Então, uma fé genuína é aquela que não está corrompida em relação aos ensinos bíblicos. Não é uma fé adulterada, ou misturada com crendices, superstições ou outros elementos capazes de destituí-la de seu sentido e significado bíblico. Fé genuína é fé verdadeira. De outra forma, o que não é 'genuíno', ou original, é falso. Uma fé sem base bíblica é uma fé falsa. Pode até parecer com fé, mas não é.

    A fé genuína tem as seguintes características:
  1. Fé que crê absolutamente num acontecimento futuro, revelado pela Palavra de Deus, como algo consolidado. Ainda não ocorreu do ponto de vista histórico, mas já aconteceu no projeto daquele que dirige a história. Ex.: A segunda vinda de Jesus Cristo ainda não ocorreu, mas é algo tão certo para nós quanto os fatos que já sucederam. Ou seja, não aconteceu ainda, mas, pela confiança na Palavra de Deus, temos plena certeza de que acontecerá. Já aconteceu no coração de Deus.
    Analisemos o texto de Hebreus 11.7: “Pela fé Noé, divinamente avisado das coisas que ainda não se viam, temeu e, para salvação da sua família, preparou a arca, pela qual condenou o mundo, e foi feito herdeiro da justiça que é segundo a fé”. Vejam que Noé creu num acontecimento futuro, predito por Deus. Sem duvidar ele começou a construir a Arca. Quando Deus anunciou o dilúvio, ninguém acreditou em sua possibilidade, a não ser os que criam em Deus independentemente da lógica e razão humana. Sobre Abraão, conhecido como “Pai da Fé”, a Bíblia diz: “Pela fé Abraão, sendo chamado, obedeceu, indo para um lugar que havia de receber por herança; e saiu, sem saber para onde ia” (Hebreus 11.8). Sobre José lemos: “Pela fé José, próximo da morte, fez menção da saída dos filhos de Israel, e deu ordem acerca de seus ossos” (Hebreus 11.22). José não viu o êxodo com os olhos da carne, mas o contemplou com os olhos da fé!
    Pela fé, contrariando o que é ensinado hoje nas escolas, cremos em Deus como criador de todas as coisas: “Pela fé entendemos que os mundos pela palavra de Deus foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente” (Hebreus 11.3). É por isso que o evangelho parece loucura para os não convertidos. Ele contraria a falsa ciência.
    Veja agora o que a Bíblia fala sobre aqueles que aparecem na “galeria da fé”, em Hebreus: “Todos estes morreram na fé, sem terem recebido as promessas; mas vendo-as de longe, e crendo-as e abraçando-as, confessaram que eram estrangeiros e peregrinos na terra” (Hebreus 11.13). Aprendemos, então, que nem tudo o que esperamos veremos com nossos olhos carnais, mas que tudo o que Deus nos promete, pela fé, já aconteceu!
  2. Fé que tem como base a Palavra de Deus.
    Não é a palavra de uma pessoa humana, nem revelações de uma religião, ou um conhecimento filosófico.
    As palavras “sola scriptura” são do latim: “sola” tem a ideia de “somente”, “chão”, “base”, e a palavra “scriptura” significa “escritos” – em referência às Escrituras. Sola scriptura significa que somente as Escrituras são autoridade de fé e prática do cristão. A Bíblia é completa, dotada de autoridade e verdadeira. “Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça” (2ª Timóteo 3.16). “Sola Scriptura” foi o grito do movimento conhecido como Reforma Protestante contra a Igreja Católica que atribui às tradições autoridade igual a da Bíblia. A fé verdadeiramente cristã tem como 'base', 'chão', 'fundamento' somente as Escrituras. Só as Escrituras, e nada além delas!
    Veja como Jesus censurou os escribas e fariseus: E ele, respondendo, disse-lhes: Bem profetizou Isaías acerca de vós, hipócritas, como está escrito: Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim; em vão, porém, me honram, ensinando doutrinas que são mandamentos de homens. Porque, deixando o mandamento de Deus, retendes a tradição dos homens; como o lavar dos jarros e dos copos; e fazeis muitas outras coisas semelhantes a estas” (Marcos 7.6-8). Agora veja como Paulo orienta aos crentes de Colossos: Tende cuidado, para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo” (Colossenses 2.8). Toda e qualquer tradição que não tenha fundamento bíblico é sem valor para a fé do cristão. Não é a tradição, mas a Bíblia que deve ser a base de nossa fé! 
    A fé verdadeira se inicia, se desenvolve e se fortifica pelo conhecimento das Sagradas Escrituras: “De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus” (Romanos 10.17). Deus falava e Noé ouvia: “Então falou Deus a Noé dizendo” (Gênesis 8.15); “E falou Deus a Noé e a seus filhos com ele, dizendo” (Gênesis 9.8). Hoje Deus nos fala por meio de sua Palavra escrita, a Bíblia.
  1. Fé que leva ao verdadeiro temor a Deus. A Bíblia diz que Noé “temeu” a Deus. Em Provérbios podemos ler muitos texto sobre o 'temor do Senhor', dentre os quais destaco: “O temor do Senhor é o princípio da sabedoria. Os insensatos desprezam a sabedoria e a instrução” (1.7); “O temor do Senhor é o princípio da Sabedoria, e o conhecimento do Santo é a inteligência” (9.10); “O temor do Senhor é uma fonte de vida para escapar aos laços da morte (14.27); “No temor do Senhor {o justo} encontra apoio sólido; seus filhos nele encontrarão abrigo” (14.26); “O temor do Senhor é uma escola de sabedoria...” (15.33). Paulo orienta aos crentes para trabalharem com 'temor': “Assim, meus caríssimos, vós que sempre fostes obedientes, trabalhai na vossa salvação com temor e tremor, não só como quando eu estava entre vós, mas muito mais agora na minha ausência” (Filipenses 2.12).
  2. Fé que leva à obediência. Já estudamos sobre a obediência de Noé, então não precisamos descrever muito este aspecto da fé: “Assim fez Noé; conforme a tudo o que Deus lhe mandou, assim o fez.” (Gênesis 6.22); “E fez Noé conforme a tudo o que o Senhor lhe ordenara” (Gênesis 7.5).
  3. Fé para agradar a Deus. A Bíblia diz que “Noé, porém, achou graça aos olhos do Senhor” (Gênesis 6.8). Qual o motivo? Creio que o escritor aos Hebreus tenha a resposta: “Ora, sem fé é impossível agradar a Deus; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam” (Hebreus 11.6). E agradar a Deus é algo importantíssimo. Veja o que a Bíblia fala sobre Enoque: “Pela fé Enoque foi trasladado para não ver a morte, e não foi achado, porque Deus o trasladara; visto como antes da sua trasladação alcançou testemunho de que agradara a Deus” (Hebreus 11.5). Sem fé ninguém pode ter acesso à presença de Deus!
  4. Fé que leva a suportar as aflições. Pela fé Paulo enfrentou perseguições, prisões, açoites e muitas outras adversidades, sempre compreendendo que para cada momento de sua vida havia um propósito divino. Pela fé Estêvão enfrentou a morte. Pela fé João enfrentou perseguições e a prisão na ilha de Patmos. Muitos ainda hoje, por causa da sua fé, estão sendo perseguidos, mas resistindo, sendo amparados, fortalecidos e consolados pelo Espírito Santo. Pela fé Noé suportou ser considerado um louco, mas sua confiança em Deus não ruiu.
  5. Fé que leva a um viver justo: “Noé era homem justo e perfeito em suas gerações; Noé andava com Deus” (Gênesis 6.9). Observem que “veredas da justiça” no Salmo 23 significa um caminho reto, direito, justo. Trata-se de um viver correto aos olhos de Deus. Podemos dizer que Noé se deixava guiar por Deus pelas “veredas da justiça”. Já falamos noutra ocasião que ele era uma pessoa íntegra. O Salmo Primeiro nos ensina que vale a pena viver uma vida justa, Porque o Senhor conhece o caminho dos justos; porém o caminho dos ímpios perecerá” (Salmos 1.6). Noutra versão está assim: “Pois o Senhor aprova o caminho dos justos, mas o caminho dos ímpios leva à destruição!”. É confortável saber que o Senhor conhece o andar do justo!
  6. Fé que colhe seus frutos: A fé de Sara rendeu-lhe precioso fruto: “Pela fé também a mesma Sara recebeu a virtude de conceber, e deu à luz já fora da idade; porquanto teve por fiel aquele que lho tinha prometido” (Hebreus 11:11). Em Atos lemos que o crescimento das igrejas estava relacionado à fé. Veja: “De sorte que as igrejas eram confirmadas na fé, e cada dia cresciam em número” (Atos 16.5). As igrejas eram “confirmadas na fé”, ou seja, no conhecimento da Palavra de Deus, na Sã Doutrina, pois é a Palavra de Deus que nos faz crer nele e crescer na fé. Na vida de Noé a fé produziu salvação pare ele e toda a sua família. O texto diz que Noé foi justificado pela fé (Hebreus 11.7). Noé também colheu outros frutos de sua fé, dentre eles o de ser abençoando por Deus, juntamente com sua família, para novamente povoar o mundo: “E abençoou Deus a Noé e a seus filhos, e disse-lhes: Frutificai e multiplicai-vos e enchei a terra” (Gênesis 9.1). Podemos dizer que todos somos descendência de Noé!
  7. Fé que leva à testemunhar. Noé foi chamado de “pregoeiro da justiça” (2ª Pedro 2.5), indicando que ele testemunhou com palavras e vida perante a sua sociedade. Pela fé, João e Pedro disseram, mesmo diante das ameaças das autoridades: “Porque não podemos deixar de falar do que temos visto e ouvido” (Atos 4.20). Sobre Paulo, Deus disse pela voz de Ananias: “Porque hás de ser sua testemunha para com todos os homens do que tens visto e ouvido” (Atos 22:15). Aos discípulos, Jesus disse: “Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria, e até aos confins da terra” (Atos 1.8). Temos tido fé para testemunhar?
  8. Fé que vence o mundo. João escreveu: “Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé” (1ª João 5.4). Fé que nos capacita a dizer “sim” e “não” na hora em que devemos. Que nos ajuda a resistir às paixões pecaminosas, que nos faz vitoriosos sobre as investidas de Satanás. É pela fé que evitamos o pecado e que nos santificamos. Noé, pela fé, venceu o mundo. Nós temos vencido o mundo?
  9. Fé que determina valores. Fé que norteia a vida e que dita nosso comportamento: “Rogo-vos, pois, eu, o preso do Senhor, que andeis como é digno da vocação com que fostes chamados” (Efésios 4.1). É a fé do crente que vai determinar o seu andar.

  1. UMA FÉ VITORIOSA:
Não falo aqui de uma “vitória” nos moldes do triunfalismo. Não a vitória expressada em alguns cânticos sem nexo com a Bíblia. Não a vitória da carne. Não a vitória que glorifica o ser humano. Mas, a vitória que para muitos é insucesso e fracasso.
Vimos, anteriormente, que pela fé temos vitória sobre o mundo: “Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé” (1ª João 5.4). Noé venceu o mundo. Esteve no mundo sem com ele se corromper. Ele não incorporou os costumes pecaminosos de sua geração. “Foi peixe que nadou contra a correnteza, e não peixe morto levado pelas águas.” Não agiu como uma “Maria vai com as outras”.

Pela fé, vencemos nossas paixões carnais.

Pela fé, após o encontro com Jesus Cristo, Paulo venceu suas convicções religiosas, herdadas de seus pais. Mas ele também venceu os judeus que queriam impor seu legalismo nas igrejas. Ele venceu seus opositores.

Pela fé vencemos o pecado. Pela fé, sentimos uma alegria vitoriosa mesmo na adversidade. Pela fé vencemos o mal com o bem. Pela fé vencemos nossos inimigos fazendo o bem, andando com eles a segunda milha, entregando a eles a nossa capa, orando pelos que nos perseguem.

Pela fé entendemos o que Jesus quis dizer com “Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós” (Mateus 5.12).

  1. UMA FÉ DE RESULTADOS:
Quais os resultados da fé na vida de Noé? Destaco aqui alguns grandes resultados:
Pela fé Noé, divinamente avisado das coisas que ainda não se viam, temeu e, para salvação da sua família, preparou a arca, pela qual condenou o mundo, e foi feito herdeiro da justiça que é segundo a fé” (Hebreus 11.7).

  1. Salvação de Noé e sua família.
    - Houve salvação para Noé e seus familiares, eles não pereceram no dilúvio;
    - Houve salvação tanto para a espécie humana quanto para as demais espécies, pois foram preservadas na Arca;
    - Houve salvação eterna, pois Noé foi “feito herdeiro da justiça, que é segundo a fé”.
  2. Condenação do mundo. A fé é salvação para o que crê, e condenação para quem não crê.

Agora veja o que a Bíblia diz sobre a fé em Jesus: Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus” (João 3.18).


CONCLUSÃO:
Que a fé de Noé seja um exemplo para nós. Que sejamos também homens e mulheres de fé, que agrademos a Deus, que o sirvamos fielmente e que o nosso testemunho ecoe entre os que nos conhecem.
Em janeiro de 2012.