terça-feira, 22 de março de 2011

ESNOBISMO CRONOLÓGICO

Autoria: Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho

Pastoral do boletim da Igreja Batista Central de Macapá, em 13/03/2011
Usado com permissão do autor


Esta expressão é do pensador inglês C. S. Lewis. Ele foi um intelectual ateu que se converteu ao cristianismo. Além de obras filosóficas, como “A abolição do homem”, ele deixou algumas teológicas e a série “As crônicas de Nárnia”.

Ele chama de esnobismo cronológico a tendência de muitos cristãos de descartarem tudo o que é antigo e abraçarem tudo o que é novo. Eles pensam que seus problemas são originais e buscam soluções originais. Assim esnobam a cultura cristalizada há séculos. Na realidade, são ignorantes da história e do ensino bíblico.

Na história da igreja, os períodos de baixa espiritual foram resolvidos quando veio um avivamento (não gritaria; avivamento!) sobre a igreja. Quando crentes confessaram seus pecados, se quebrantaram, deixaram-se encher pelo Espírito, a igreja foi transformada. Hoje acham que um novo modelo eclesiástico, um novo tipo de louvor ou um novo guru mudará tudo. E dizem: “Novos tempos exigem novas soluções!”. Alguns têm uma nova revelação e outros até um novo Deus, como o chamado “teísmo aberto”, corrente teológica que nega a onisciência de Deus e nos oferece um Deus (deus, melhor dizendo) do nosso tamanho.

Como se inventam soluções para dinamizar a igreja ou atrair pessoas para os nossos cultos! Há marqueteiros eclesiásticos especialistas em vender a imagem da igreja ao mundo. Só que eles produzem uma igreja artificial, genérica, ao gosto do cliente. Não ao gosto do Novo Testamento (que, para eles, ficou velho…)

Os problemas do mundo e da igreja são antigos. São os mesmos de sempre. Apenas vestidos com roupa nova. Criam termos novos para pecados velhos. E buscam soluções novas para os termos novos. Mas o problema é o velho pecado.

O esnobismo cronológico leva teólogos a andarem como baratas tontas atrás das frases feitas de pensadores que se esmeram em dizer o nada de forma incompreensível. Por vezes leio alguns pensadores cristãos que dizem tanta coisa confusa como se fossem luminares celestiais. A velha Bíblia tem respostas mais simples, mais objetivas e mais profundas. Mas os esnobes cronológicos querem coisas novas.

A igreja não precisa de novidades, mas de “velhidades”. Das velhas respostas do Velho Livro de Capa Preta. Da atuação do “velho” Espírito Santo. Da velha mensagem da cruz.

Recusar o novo por ser novo é tolice. Mas recusar o cristalizado há séculos, em nome do moderno, também é. É bom aceitar as palavras de Paulo: “Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo grande desejo de ouvir coisas agradáveis, ajuntarão para si mestres segundo os seus próprios desejos, e não só desviarão os ouvidos da verdade, mas se voltarão às fábulas. Tu, porém, sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério” (2Tm 4.3-5).

Visite o site do autor: http://www.isaltino.com.br

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

segunda-feira, 21 de março de 2011

TRÊS COISAS QUE DEVEMOS CULTIVAR



Pr. Cleber Montes Moreira



Texto principal: 1ª Tessalonicenses 5.16-18
16- Regozijai-vos sempre.
17- Orai sem cessar.
18- Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco

INTRODUÇÃO:
A igreja de Tessalônica foi fundada por Paulo durante sua segunda viagem missionária (Atos 17). Depois de ser perseguido e deixar Tessalônica (Atos 17.10), o apóstolo Paulo enviou Timóteo a fazer-lhes uma visita (3.1-3); mais tarde o citado discípulo leva um relatório a Paulo em Corinto. Na igreja ocorriam sérios problemas, dentre eles a perseguição que continuava e desencadeava a morte de alguns crentes. Muitos tessalonicenses sentiam-se desconsolados.
O alvo principal do apóstolo nesta carta foi proporcionar conforto e encorajamento, especialmente ao novos convertidos vindos do paganismo, a fim de que se mantivessem fiéis, mesmo em meio às mais severas provações e perseguições (3.3-5). Além disso, Paulo se preocupa em oferecer à Igreja instruções sobre como viver um estilo de vida piedoso (4.1-8).
A beleza de toda a Bíblia está no fato de que Ela é também para os nossos dias. Nesta carta de Paulo aos Tessalonicenses podemos encontrar orientações para o nosso viver como crentes, palavras de conforto e de encorajamento.
No capítulo 5, destaco três orientações para o bem viver. Vejamos:

1. CULTIVE SEMPRE A ALEGRIA - “Regozijai-vos sempre” (V.16):
A alegria deve estar sempre presente na vida do cristão. A alegria do salvo independe dar circunstâncias, pois ela é motivada por Cristo; é fruto de nossa comunhão com Ele.

  1. Jesus deseja que haja alegria em nossas vidas: “Tenho-vos dito isto, para que o meu gozo permaneça em vós, e o vosso gozo seja completo” (João 15.11).
  2. O povo de Deus deve alegrar-se na sua salvação: “E vós com alegria tirareis águas das fontes da salvação” (Is 12.3).
  3. Nossa postura diante de Deus deve ser de alegria. Devemos servi-lo sempre e com alegria: “Servi ao Senhor com alegria; e entrai diante dele com canto” (Sl 100.2).
  4. Tiago ensina que a alegria deve ser cultivada até mesmo nas aflições e provações: “Meus irmãos, tende por motivo de grande gozo o passardes por várias provações” (Tg 1.2). Jesus já havia dado aos discípulos a mesma orientação: “Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa. Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós. (Mt 5.11 e 12 – grifo meu). Isto me faz lembrar que “Os que semeiam em lágrimas segarão com alegria” (Sl 126.5).
Observe que a palavra “sempre” dá a ideia de uma alegria constante! Portanto, cultive a alegria em seu viver diário. Isso fará bem a você e agradará a Deus.


2.CULTIVE UMA VIDA DE ORAÇÃO - “Orai sem cessar” (v.17):

Os cristãos deveriam cultivar a alegria, mas não deviam falhar na oração constante. As perseguições eram implacáveis, muitos já haviam sido vitimados por ela, por isso a igreja deveria continuar vigilante em oração.
Desde cedo aprendemos na EBD o valor da oração. Todavia, nem sempre os crentes a valorizam devidamente. Exemplo disso são os cultos de orações da igreja, sempre com um auditório pequeno. Na verdade, nossas reuniões de oração deveriam ser as mais frequentadas, pois é por meio da oração que dialogamos com Deus e aprofundamos nossa intimidade com Ele. Infelizmente, hoje, as pessoas se preocupam mais com o louvor do que com a oração. Acolhem mais o evangelho triunfalista, que prega e canta bênçãos e vitórias sem base bíblica, que o evangelho bíblico que nos conduz ao alvo estabelecido por Deus.
Pense comigo:
  1. Você já agradeceu a Deus hoje, em oração, por sua vida?
  2. Pelo menos você já se lembrou de orar hoje?
  3. Qual foi a última vez que você foi a uma reunião de oração de sua igreja?
  4. Quantos motivos você tem para orar?
“Sem cessar” significa sem parar, constantemente, ininterruptamente... Ou seja, levar uma vida de oração constante!

Jesus disse aos discípulos: “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação” (Mt 26.41). Há muitos motivos pelos quais precisamos exercitar a oração.

3.CULTIVE UMA VIDA DE GRATIDÃO - “Em tudo dai graças...” (v. 18):

Conforme o Dicionário Oline, gratidão significa “reconhecimento por um benefício recebido; agradecimento: dar provas de gratidão”. Esta é a ideia do salmista no Salmo 116.12: “Que darei eu ao Senhor, por todos os benefícios que me tem feito?” Orientando aos colossenses sobre a vida cristã, Paulo diz: “E a paz de Deus, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações; e sede agradecidos” (Cl 3.15 – grifo meu).
Voltando a 1ª Tessalonicenses, o texto não fala apenas da gratidão por benefícios recebidos. Paulo vai além. “Em tudo” significa em todas as circunstâncias. A orientação não é para agradecer por tudo, mas ser grato em tudo!
A gratidão e contentamento andam juntos. Esta foi a experiência de Paulo, que ele mesmo relata aos filipenses: “Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade. Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece” (Fl 4.12 e 13).
Você tem cultivado a gratidão, diariamente, em sua vida?

CONCLUSÃO:
Há três ingredientes que não podem faltar em sua vida: Alegria constante, apesar das circunstâncias. Vida de oração, sinônima de intimidade com Deus. O cultivo da gratidão, como fruto de um coração transformado pelo Salvador.
O resultado disso é que “a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus” (Fp4.7).





terça-feira, 8 de março de 2011

Comentário de Rachel Sheherazade sobre o Carnaval

Bom saber que ainda existem pessoas sérias por aí.



Rachel Sheherazade comenta repercussão do seu vídeo



Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.