segunda-feira, 16 de junho de 2008

Congresso Mundial de Famílias denuncia a chamada do presidente Lula para se criminalizar a oposição ao homossexualismo

Em resposta à descrição do presidente Lula de que a oposição ao homossexualismo “talvez seja a doença mais perversa impregnada na cabeça do ser humano”, Larry Jacobs, coordenador global do Congresso Mundial de Famílias, disse que o comentário é “tão idiota a ponto de nos deixar sem fôlego”.

“Lula foi muito mais longe do que qualquer outro chefe de estado ao se alinhar aos elementos mais radicais do movimento homossexual internacional”, observou Jacobs. “Agora ele está dizendo que a oposição à perversão é pior do que o racismo, o anti-semitismo ou o impulso totalitário”.

Os comentários de Lula foram feitos na 1ª Conferência Nacional de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais em Brasília, 5 de junho.

Além de rotular a oposição à radical agenda homossexual como desordem mental, Lula clamou pela criminalização de dita oposição. O presidente brasileiro garantiu à audiência que ele “fará o possível para que a criminalização da homofobia e a união civil sejam aprovadas”.

Jacobs comentou: “Tal sempre foi a meta máxima do movimento homossexual internacional: tornar crime a oposição ao homossexualismo — suprimir a livre expressão e criminalizar opiniões opostas”.

Jacobs chamou o pronunciamento de Lula “um ataque direto à religião e à família”, e prometeu: “As forças pró-família no mundo inteiro farão resistência”.

Título original: World Congress of Families decries Brazilian president’s call to criminalize opposition to homosexuality

Traduzido e adaptado por Julio Severo: www.juliosevero.com

Fonte: www.worldcongress.org

Leitura recomendada:

Lula: oposição ao homossexualismo é “doença perversa”

Nenhum comentário:

Postar um comentário